Wagner Moura revela ter recebido ameaças e sai em defesa de Jean Wyllys: “Estou totalmente solidário”

Diretor do filme “Marighella”, o ator baiano Wagner Moura disse a Simone Zuccolotto, do programa “Cinejornal” que, a exemplo do amigo Jean Wyllys, também foi ameaçado. O programa foi ao ar no último sábado (26).

“[Marcelo] Freixo e Jean são muito meus amigos. Eu conheço o Jean da época de faculdade em Salvador. Ele é uma pessoa que eu amo muito, é muito próxima minha, e Freixo é um grande amigo meu. Sobretudo eu temo por eles. Eu lamento a decisão de Jean, mas apoio totalmente. Estou totalmente solidário a Jean. Lamento por perder neste momento a força que ele tem, a força incrível que ele tem ali dentro daquele Congresso”, lamentou.

Ele afirmou que foi ameaçado durante as gravações de “Marighella”. “A gente recebeu ameaça de gente dizendo que ia invadir o set do filme, que ia quebrar tudo. Na minha frente ninguém nunca fez nada e eu não sei como reagiria se o fizessem”, revelou. “Eu gostaria que não acontecesse. Mas eu não tenho medo não”, emendou.

Intérprete de sucessos como os personagens Capitão Nascimento, na sequência Tropa de Elite, e Pablo Escobar, na série Narcos, o ator foi colega do agora ex-parlamentar na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (Facom/UFBA).

Eleito para um novo mandato de deputado Federal, Jean Wyllys (PSOL), afirmou nesta semana, à Folha de S.Paulo, que desistirá da continuidade no cargo e, por conta de ameaças recebidas, deixará o país para viver na Europa.

Fonte: VN I Foto: Reprodução / Conexão Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *